Connect with us

Cidades

104º Shokonsai espera público de 8 mil pessoas

Publicado

em

Celebrar e cultuar o legado dos antepassados representam algo importante para a cultura japonesa. Uma das mais tradicionais festas que comemora a ancestralidade, realizada sempre no segundo domingo de julho, ocorre em Álvares Machado. O evento, denominado de “Shokonsai”, chega, em 2024, à 104ª edição neste fim de semana, no Cemitério Japonês, e é aberto para todos os públicos.

Em dois dias de festa, a Associação Cultural, Esportiva e Agrícola Nipo-brasileira de Álvares Machado (Aceam) espera receber oito mil pessoas entre sábado (13) e domingo (14).

Cemitério Japonês

O primeiro sepultamento no Cemitério Japonês de Álvares Machado tem a data de 19 de novembro de 1919. Um surto de febre amarela e outras doenças mataram vários japoneses.

O vice-presidente da Aceam, Luiz Takashi Katsutani, explicou que o cemitério mais próximo ficava em Presidente Prudente, a 15 quilômetros de distância, e os corpos eram levados a pé, carregados por duas pessoas, para o sepultamento.


Diante do aumento de pessoas em Álvares Machado e também da quantidade de mortes, as idas para a cidade vizinha ficaram inviáveis e a implementação de um cemitério era necessária.

Então, para a melhoria das condições locais, Naoe Ogassawara conseguiu a permissão para fazer um cemitério em uma área de cinco alqueires.

O local foi tombado como patrimônio histórico pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico e Artístico do Estado de São Paulo (Condephaat) pela Resolução nº 23, de 11 de julho de 1980.

Ainda conforme Katsutani, 784 pessoas foram sepultadas no local. Entre elas, um brasileiro de nome Manoel da Silva, que morreu assassinado ao defender uma família japonesa.

‘Convite às almas’

O evento surgiu em 1920, um ano após a criação do cemitério, com a vontade das famílias em celebrar os entes falecidos.

Neste período, no dia 15 de julho de 1920, foi realizado o Obon, que é o evento de finados feito no Japão, conhecido como “o dia em que os espíritos retornam a este mundo para visitar seus parentes”.

O evento foi denominado de “Shokonsai”, que significa “convite às almas para celebrar” ou “culto aos heróis”.


Após 104 anos, a festividade permanece viva. Por volta das 17h, no domingo, é colocada uma vela em cada túmulo e todas elas permanecem acesas de forma simultânea.

“Faz parte da nossa cultura cultuar sempre os antepassados e fortalece cada vez mais. Nós temos uma coisa mística que acontece, em 103 anos, nunca choveu. Em cada um desses túmulos, nós acendemos uma vela e, em tempo de vento, no dia do Shokonsai, tem uma calmaria e essas velas queimam integralmente, sem apagar. Essa coisa mística que acontece no nosso Shokonsai”, contou o vice-presidente da Aceam.

Programação

O evento começará no sábado (12), a partir das 11h, com a abertura da praça de alimentação voltada para a gastronomia japonesa, com 20 pratos típicos. Já às 15h, terão início os shows. O evento tem previsão de encerramento às 22h.

No domingo (13), por sua vez, a programação começará pela manhã e terminará à tarde, com o tradicional Ritual das Velas.


Veja o cronograma completo das atividades:

  • 9h: Culto budista na capela do Cemitério Japonês;
  • 10h30: Inauguração do Tori;
  • 11h: Oração pela paz no monumento dos soldados falecidos na 2ª Guerra Mundial;
  • 11h30: Abertura oficial (palco);
  • 12h: Praça de alimentação;
  • 12h: Apresentações artísticas; e
  • 17h30: Ritual das Velas e apresentação da Orquestra de Câmara do Oeste Paulista.

“A gente comemora esse ‘finados’ primeiro fazendo um culto budista, após o culto, a visitação aos túmulos e depois, dentro do nosso costume, sempre fazemos essa comemoração, que era um lanche. Depois, isso se transformou em danças típicas, lutas, música, tudo para também finalizar esse evento”, concluiu Katsutani.

Entre as apresentações artísticas ao longo do dia, haverá karaokê, apresentação de taikô, orquestra, artes marciais, danças tradicionais e folclóricas japonesas, entre outras.

Serviço

O 104º Shokonsai será realizado no Cemitério Japonês, localizado na Estrada Vicinal Vereador José Molina, no km 2, no sentido do distrito de Coronel Goulart, em Álvares Machado.


Publicidade
Publicidade